terça-feira, 11 de maio de 2010

JC



Dia de receber o Papa em Lisboa é dia de pensar em certas coisas.
Nunca percebi porque é que os supostos representantes de Jesus são sempre velhotes sem estilo (excepção feita aos Prada do Bento XVI, chiquésimos). A história de Jesus é a defesa do novo, da renovação, da revolução, de deitar abaixo o que está estabelecido e trazer atitudes frescas. O Novo Testamento devia até chamar-se Testamento Novo. Jesus nem nunca chegou a velho; morreu novo, mesmo à rock star.
Às vezes gostava tanto que ele voltasse. Íamos beber umas imperiais ao Bairro e falar do sentido da vida. E ele ia concordar com coisas como o casamento entre homossexuais e o uso do preservativos, porque sempre chamou para junto de si pessoas que a sociedade condenava e defendeu o amor e a igualdade. Espalhava os seus ideais, protegia aqueles que amava, que eram todos. Era um pacifista activo.
Digam o que disserem, ninguém me fará mudar de ideias: Jesus era um gajo cool.

7 comentários:

Catá disse...

De Ray Ban e All Stars!

bipa disse...

sem dúvida!

Zaahirah disse...

Jesus era um fixe! E se cá voltasse em vez de pão dava era preservativos coloridos à malta toda!

Anónimo disse...

Ora aí está uma reflexão bem profunda a dar os seus frutos. Bom representante de jesus seria então, por exemplo, o Rufus Wainright (que é novo e tem estilo - e é homossexual). Versão kinda straight seria o Beck. Cabelo, óculos, ru-pinha e sapatitos bem hip, bem féchon. De facto, era bem melhor. É do que o mundo que divide o seu sofrimento entre a miséria absoluta, a fome e a doença precisava - do messias com uns discípulos à maneira; de uma última ceia vegan / sushi; de uma crucifixão mais S&M; de uma ressurreição muito mais Vogue, mais glá-mur, mais angels in America... Com velhos bota-de-elástico (ainda que prada), e uma moral tão pouco sintonizada com o desejado esprit du temps (é bem sabido que quando cristo ordenou "amai-vos uns aos outros" estava a pensar numa love fest planetária), e não em sacrifício ou renúncia, não espanta que as igrejas andem vazias... The Snake (abides).

Clara disse...

Sem ser a referência aos Prada do Papa, eu não falei de roupa nem look fashion nem sushi. Cool de cabeça; não cool de gostos e aparência (até pode ser, mas não é isso o importante). Cool, fresco de ideias. E tu percebeste bem, Snake, não venhas cá com ironias despropositadas...

F. Pigrizya disse...

Achei o blog de vocês muito bom. Parabés, estou linkando lá no meu. Abraços!

Fabi disse...

Gostei do que li... e acredito que Jesus está sempre do lado das pessoas, do lado do bem, do lado da justiça. Sei que a Igreja dos Homens nos apresenta ideias que soam a velhas, desadequadas e profundamente desiguais. Mas Jesus só pode defender uniões de amor, quer sejam homossexuais ou heterossexuais.