domingo, 26 de abril de 2009

O Homem-Nuvem


Ela: Olá.
Ele: Olá.
Ela: Tens cara de nuvem.
Ele: Nuvem?
Ela: Sim. Pareces muito fofo e confortável. Mas não dá para te agarrar e prender na mão fechada. Ou no coração. Ou aqui ao lado, neste sofá.
Ele: Para que queres tu prender-me?
Ela: Para poder olhar para ti sempre que quiser.
Ele: Mas podes olhar para mim sem me prender.
Ela: Não, não.
Ele: Porquê? Estou aqui, mesmo ao teu lado.
Ela: Mas daqui a pouco já não estás. Tu nunca ficas. Passas, como uma nuvem.
Ele: Nuvem?
Ela: Sim. Não faças essa cara de nuvem que chora. Tens mesmo de passar, faz parte do que és. Se ficasses, o céu, o mundo, tudo perdia o seu rumo. Era o caos. E tu não queres o caos.
Ele: Não, prefiro que tudo fique como está.
Ela: Pois é. E eu não quero alterar a ordem das coisas. A sério que não quero.
Ele: Às vezes, acho que preferia que quisesses. Mas não hoje. Posso ir embora sem me despedir?
Ela: É assim que fazes sempre. Desvio o olhar e, quando quero encontrar-te de novo, já lá não estás. É assim...como uma nuvem. Não é?

[silêncio e um lugar vazio]

Ela: É.

4 comentários:

pipa disse...

Nunca tinha encontrado ou pensado (?!) numa "definição" tão adequada :) mas não deixa de ser triste...as coisas serem como são..

beijinhos!

culebra disse...

Já a raposa, no principezinho, lhe dizia (ao principezinho), "apprivoise-moi" (que na tradução portuguesa deu "cativa-me": bom resultado). Somos todos iguais (interchangeable) e igualmente indiferentes uns para os outros (e uns aos outros) até sermos cativados por alguém (e, idealmente, o ou a cativemos). (Muito gosto eu de parênteses). O teu homem-nuvem é obviamente difícil de cativar. Eu também me cruzo ocasionalmente com mulheres-nuvens... O que é que se diz a alguém que não se conhece que signifique alguma coisa de único (e unicamente cativante) sobre nós? Como é que se cria um laço que nos prenda (sem nos prender) a outra pessoa? Uma das vantagens de ser novo e estar com os copos era que eu não me preocupava com a resposta a perguntas como aquela... Foi há muito tempo. Posso estar a mentir. The older I get the better I used to be...(também gosto muito de reticências...) "Silêncio e um lugar vazio": ora aí está um bom epitáfio... P.S.: ou cenotáfio.

Jota p\ extenso disse...

O problema em levar pessoas-nuvem no coração é que, mais dia menos dia, se transformam em chuva na cara.

RMP disse...

Óptima definição, estou no meio de uns aguaceiros que nem te conto. Porque as nuvens no fundo querem ficar, mas são tão gasosas que não conseguem.
Sentem-se bafejadas por um vento inconveniente, vento esse que se apressa no sopro quase que a dizer "a nuvem não nasceu para estar parada"
Talvez, um dia se precipite e fique presa, mas até a nuvem querer a precipitação, não serve de muito esperarmos por ela.