segunda-feira, 2 de março de 2009

I miss that stupid ache


Not About Love - Fiona Apple

Não estou apaixonada.

Pior do que estar apaixonada e sofrer é não estar apaixonada. Não ter borboletas na barriga, não olhar para o telemóvel a cada 2 minutos (na verdade, eu faço isto, mas é à espera de que aquele trabalho que tanto quero seja meu), não sorrir sozinha na rua, não chorar por desgostos inventados pela nossa cruel imaginação, sempre tão aguçada nestas alturas de sensibilidade em excesso. As dores do amor são as únicas que vale a pena sentir. Chamemos-lhes o sal da vida, tão necessário como o açúcar da vida (aka as alegrias do amor).

Contudo, e por muito triste que tudo isto seja, não consigo deixar de fazer piadas sobre o assunto. No fundo, a postura Fiona Apple: para uma canção triste, um filme engraçado. Até posso afundar-me em queixas, papéis de vítima e depressõezinhas de quinta categoria, mas a malícia rápida que me torna numa companhia até animada - essa ninguém me tira da ponta da língua.

Por isso, mantenho-me, senão bem humorada, pelo menos cínica o suficiente para fazer rir os outros. Isso chega para me fazer atravessar os dias contente, às vezes mesmo pertinho de feliz. Mas que sinto falta daquela estúpida dor, lá isso sinto.

2 comentários:

bipa disse...

Queres trocar comigo? Lembro-me da última vez em que não estive apaixonada e não era tão mau como isto... Mas quando voltar a esse estado vou provavelmente concordar contigo. Depois aviso ;)

Luís Ricardo Duarte disse...

A vida é uma ciência inexacta. E o amor também. É publicidade foleira, mas tem a sua verdade. Enfim, antes a possibilidade do futuro do que a ausência do passado. Que é como quem diz: Ovo já tens, estás a meio caminho da omelete. É piada foleira, mas tem a sua verdade :)