segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Barcelona, part dos


É tudo mentira!!

Aqui, repomos a verdade: os catalães são muito simpáticos, os catalães respondem ao castelhano, os catalães tentam perceber o português.

Tudo começou no Hostel Centric Point, num dos muitos prédios lindos do Passeig de Gracia, a dois passos de alguns dos milagres artísticos de Gaudí. O Pablo da recepção cumprimenta-nos com apertos de mão. Todas as caras diferentes que vimos na recepção, se abriam em sorrisos quando dizíamos "buenos dias".

Assim foi em toda a cidade. Barcelona é uma cidade confortável. É fácil sentirmo-nos bem, à vontade, como se nos conhecessemos há muito tempo. Sem contar com o pequeno episódio em que tentámos sair à noite no Martim Moniz lá da terra, chamado El Raval...
Os defeitos são poucos. O maior é o bar mais lindo do mundo, El Bosc des Fades, não ter uma única bebida quente à noite, em pleno Inverno!

3 dias são pouco para ver tanta coisa, mas mesmo assim chegámos ao fim com as pernas feitas em gelatina (mas nem um kilo mais magras, já que comemos sempre que nem umas alarves).

Roteiro rápido:

Dia 1: chegada, almoço no McShit (claro!), check-in no hostel, passeio nas Ramblas até à praça Colombo, caminhada com cheiro mar até ao Bairro Gótico. Aí perdemo-nos nas praças, catedrais, ruínas romanas e ruas pitorescas. Jantar no maravilhástico Bilbao Berria, as melhores tapas de Barcelona, e tentativa de saída no Bosc des Fades (cheio de gente) e no El Raval.
Dia 2: visita à Casa Milá (mais conhecida como La Pedrera), almoço num italiano perto da Sagrada Família, visita à Sagrada Família (das coisas mais impressionantes do mundo!), subida de funicular ao MontJuic e descida a pé até à praça de Espanha. Jantar: paelha gigante e deliciosa!
Dia 3: visita ao Parc Guell, o país das maravilhas barcelonês, com as preciosas informações do senhor Juli Bernat, que nos fez ver Snoopys e mariposas onde antes só víamos pedras. Almoço fantástico no mercado de La Boquería. Regresso a Portugal...

Este foi o grande problema... ter de voltar da cidade confortável, cheia de gente a todas as horas do dia, onde se ouvem muitas línguas e a arte está na rua, ao alcance de todos.
Como é que se diz "saudade" em catalão?

2 comentários:

lilith * disse...

«te echo de menos» soa a saudade. reticências. *

Carla Guerra disse...

Oh Ritinha... só hoje descobri este armário, com um surpreendente ovo lá dentro! O blog está muito bom, parabéns. Tem muita proteína!! E olha, perdi-me pelos vossos retratos escritos de Barcelona. Perdi-me e corri a cidade toda... e foi difícil encontrar-me de novo aqui... Inesquecível, este pedaço de mundo, por razões que agora sei que conheces... É a cidade "mai linda", ou não é? E custa muito voltar, não custa? "Eu bem te avisei!". Bem, adorei ler os vossos roteiros e aventuras, porque revivi tudo... E também a saudade... Fazendo uma regra de 3 simples... se 3 dias é X de saudade, 5 meses é Y... Y é "más que demás"!! Eu, que não posso "perder o castelo de vista",tenho a certeza que lá seria muito feliz! Custou-me tanto o regresso. Vinha diferente. E sabes o que eu acho? Queres saber a opinião de quem "viveu" e teve de conseguir voltar? Barcelona transborda de vida porque cada visitante que regressa deixa lá um pedaço da sua. Clara, Gema e Casca do Ovo deixaram uma bela contribuição, parabéns! Um dia, amiga, temos de ir lá juntas, deixar mais um pouco...