terça-feira, 15 de janeiro de 2008

What a weekend...and so on...

Este fim-de-semana apanhei um dos sustos da minha vida! Não era suposto o desporto ser violento, devia ser saudável e uma forma agradável de passar o tempo. Levamos tudo com ligeireza a achar que as coisas só acontecem aos outros, mas, quando o nosso amigo do coração cai no chão e o tempo pára, tudo pára também! Não me quero lembrar daqueles longos minutos em que tudo ficou suspenso, nem da tua imagem no chão frio do pavilhão, nem das caras do outros meninos, nem do silêncio que dezenas de pessoas foram capazes de produzir... muito menos quero pensar no que senti durante aquela eternidade! Quero lembrar-me apenas de nós todos juntos em sorrisos e piadas de mau gosto quando tudo voltou a ficar bem, das mensagens e telefonemas de carinho que durante dois dias inundaram os nossos telemóveis, do teu sorriso quando eu entrei no quarto e me chamaste "Barda", alto e bom som! Tudo voltou a ficar bem! Se calhar, melhor do que nunca. Amamo-nos e não há sentimento melhor do que esse!

E como o fim-de-semana me deixou muito sensível, serve este post para fazer uma homenagem aos meus amigos do coração, que existem no meu mundo e o fazem mais belo todos os dias!
Como é tão típico em mim, ontem levei montes de trabalho para casa, porque esta cabeça só funciona com a pressão dos prazos (mas será que nunca mais aprendo???). Por volta das 22:30 dei a maior das tampas ao meu querido Manitas, que já estava todo lançado para um serão de cházinho e séries da Fox. Mas era impossível! Eu nunca iria acabar aqueles textos na minha vida! E o Manitas esqueceu-se das suas vontades e da minha grande lata (sim, eu disse-lhe mesmo "Por favor, não venhas cá ter a casa!!!) e foi para casa, ligou o msn e esteve até às 3:30 da manhã "ao meu lado", a motivar-me para fazer o trabalho e a dar-me conversa para eu nao adormecer! Se isto não é a maior prova de amizade do mundo, é o quê? E depois foi a vez da Clara, que por volta das 2h ainda foi escrever um texto para mim, porque eu já não conseguia pensar! Obrigada pela companhia e obrigada pelo amor!

Para acabar a noite, estava eu a lamentar-me ao Mani que estava morta e, ainda por cima, tinha de me levantar às 8h e ele partiu-se a rir! Claro que fiquei logo danada por nunca ninguém me levar a sério quando falo na responsabilidade de acordar cedo! E o meu período de lamechice, carência e sensibilidade acabou com a seguinte resposta: "Tita, as oito da manhã serão sempre as oito da manhã e tu serás sempre tu!"

*Aos meus amigos que estão sempre aqui*

5 comentários:

Carlita* disse...

É lindo sabermos que este amor que existe é o mais puro dos sentimentos e que temos o privilégio de o viver e de o sentir todos os dias!! Depois deste fds tb eu me sinto uma privilegiada com tanto amor e carinho!
Quanto a ontem... só faltou mesmo a conversa em "tri-band" ao telemóvel em que rimos que nem tolas por coisas e momentos surreais, sim porque ainda nos conseguimos deixar surpreender! O que não deixa de ser bom e curioso ao mesmo tempo!*

Gema disse...

Tens razão Carlinha. Como é que me esqueci da conversa em tri-band?? :) Momento muito bom mesmo! LOOOOL!

Louro disse...

Eu também quero um Manitas para me manter acordado! lololololol

c.s disse...

A mim já me bastava ter o meu Manitas (sim, porque ele também é meu!)uma vez por outra, a horas decentes...

manitas disse...

Obrigado... Temos encontro marcado por volta das 3h da manhã, quando me deres a próxima 'tampa'! ;)

P.S.: É um mistério ter frases tão inspiradas quando o tempo voa noite dentro.

Beijos