quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha?

Não sabemos. Mas o ovo dentro do armário foi a primeira resolução de 2008. E, provavelmente, a única concretizada com tanta eficácia. Mas adiante. Ninguém pediu desejos: a Gema comeu as passas todas de uma vez (a lambona!) e a Clara nem sequer abriu o pacote. O ovo não começou inteiro o ano: separámos as gemas das claras; as gemas para o norte, as claras para o sul, mas voltámos a encontrar-nos, o ovo inteirinho dentro do armário. Este é o ano de bater as claras e construir castelos no ar; juntar às gemas a farinha e fazer bolos de 20 andares; de tentar bater a massa à mão, mas não ter vergonha de pedir ajuda à máquina; de usar sempre azeite e nunca margarina. Este é o ano de não ter medo de dizer "sozinha não consigo" e perceber que isso não é uma fraqueza; de admitir que um ovo só é ovo com uma clara e uma gema.

E agora, senhoras e senhores, o manifesto:

1. Não queremos dar a conhecer a nossa vida ao mundo.

2. Não queremos que as pessoas descubram o que pensamos.

3. Não queremos falar dos nossos problemas.

4. Não queremos contar os nossos sonhos.

5. Não queremos dar a nossa opinião.

6. Não queremos ler comentários dos outros.

Mas é claro que vamos fazer isso tudo. É desta que saímos do armário.
Gema e Clara

5 comentários:

Catá disse...

PUM!!

(e depois do meu comentário subtilmente intelectual...)


Queridas Humpty Dumpty,

Há quem prefira as claras. Há quem prefira as gemas. Para mim, um ovo por inteiro sabe muito melhor. Frágil, complexo, versátil.
Que saiam da casca com receitas nunca antes experimentadas! Consistência nos castelos! Cor e sabor nos nossos pratos!
Deliciosas como sempre!

Beijinhos, Catá

Faustino disse...

Eu também prefiro o ovo por inteiro (sim, estou apenas a falar do ovo!), embora a clara e a gema tenham sabores distintos muito positivos: há alturas que me apetece mais a clara, outras a gema.
Também depende de como o ovo é confeccionado, mas um ovo é sempre um ovo! (wowwww, ganda frase!)...
E atenção, que apesar de muitas coisas ficarem óptimas porque levaram ovos, um ovo é sempre mais valorizado sozinho, por si mesmo. (relembro, que me continuo a referir apenas ao ovo propriamente dito).
Mas não confundam: também há ovos que não têm clara e gema. Mas este ovo não. Este é um ovo verdadeiro!

Quem não se lembra da sua alegria por ver um ovo tão bonito à sua frente?

Concluindo: na passagem de ano também havia água e sumos.

Boa sorte nesta nova etapa. Espero que não seja "oval".

Um beijinho,

Faustino (ou João, depende da perspectiva)

alx disse...

Eu... vou ficar à espera de gemadas!!!

Jinhos

Eu disse...

Olá Ovas!!! Bom Ano!!!
Espero ver aqui retratados muitos muitos castelos com muitas nuvens bem cor-de-rosa a sustenta-lo no ar. Mil beijinhos com muitas saudades, Liliana Cardoso

Louro disse...

Devassem esse armário! Expulsem de lá os esqueletos quietos e tragam-nos aqui para a blogosfera! Até porque pisar ovos é não saber o que fazer, e isso vai contra o vosso manifesto! Ah... tenho de voltar aqui a ese comentário para ver qual dos vossos amigos vai escrever aqui "Porque não ser um ovo é o contrário de ser um ovo"...