domingo, 4 de janeiro de 2009

Ontem à noite

Subia a rua do Norte. Era quase 1h da manhã. A mensagem de uma amiga tinha-me libertado do sofá e da playstation e dado o empurrão necessário para me pôr a caminho. No caminho, subindo aquela rua do Bairro Alto, de telemóvel na mão e olhos na mensagem que estava a escrever para a minha metade, ouvi: "olha para a frente senão cais".

Nestas alturas não podemos perder a esperança. Já não levantamos os olhos para estes "piropos" ou lá o que é (chamamos-lhes assim para não admitirmos que estamos de facto a ser gozadas), pensamos que vamos ouvir mais um ou dois destes naquela noite e depois voltamos para as nossas casas, sozinhas e com o ego exactamente do mesmo tamanho. Mas, às vezes, podemos começar a noite com "olha para a frente senão cais" e acabá-la de maneira diferente.

"És lindíssima", disse-me. Por essa altura, já estávamos na Bica, à porta dos bares fechados desde as 2h. Depois apresentou-se, com um cartão que dizia art director, que combinava com os óculos de massa, mas não com a roupa toda preta. Antes, perguntou "algum de vocês é namorado desta mulher?". Já eu me preparava para apontar para o único solteiro presente, quando a Primes se adiantou. "Não, não, está livre como um passarinho". Tentei dizer-lhe com o olhar que livre, sim, mas não para toda a gente. "És lindíssima", disse ele então. Durante todo o tempo usou palavras como "linda", "deslumbrante", "a mulher mais linda que já vi", a que fui respondendo com as bochechas vermelhas e o riso na boca "muito obrigada". É possível (e até muito provável) que o jovem tenha subido a rua a dizer estas coisas às meninas que ia encontrando, embora ele tenha garantido que nunca tinha feito aquilo e que era o álcool a dar-lhe coragem.

Decidida a divertir-se com aquilo tudo, a Primes perguntou-lhe quem era ele, de onde vinha, quantos anos tinha (36. aparentemente, os homens com menos de 30 desistiram de mim). Ao início, parecia uma reprodução do meu ex-namorado, mas numa versão feia, muito menos cool e muito mais esquisita. Apesar das boas intenções, o rapaz rapidamente fez asneira. Falou da ex-namorada. Várias vezes. Até ao ponto de a Primes, decidida a que o rapaz acreditasse que tinha alguma hipótese, fazer o gesto de quem corta o pescoço e dizer "estás a falar muito da ex-namorada; isso não é bom". De repente, sem qualquer razão, pergunta-me: "gostas de Nine Inch Nails?".

Depois, diz-me que faz reiki e que consegue ver a energia das pessoas. Que quando me viu, "foi uma cena incrível" (aparentemente, tudo para ele era "uma cena" e, que sorte!, "incrível"), tinha imensas cores à minha volta, "parecia aquela coisa do Hulk". Stop. Comparar uma mulher ao Hulk, não é, repito, NÃO é, seja em que circunstância for, uma boa ideia. Nunca. Depois, fez-me levantar a mão direita e pôs a mão dele sobre a minha, para que eu pudesse apreciar os seus poderes reikianos. "Vês?", disse ele. Eu não vi. Quer dizer, vi toda a gente à minha volta a rir e vi que a unhada que levei na passagem de ano ainda lá estava marcada.

Entretanto, o rapaz desistiu de me impressionar e resolveu inserir-se no grupo. Acabou a convidar toda a gente para jantar, peixe com pimenta. Mais tarde, disse "tenho um candeeiro incrível para comer", ao que eu, obviamente, respondi "então não era peixe?". Candeeiros, música electrónica, design, tecnologia, lâmpadas com penas de pato-bebé, uma coisa chamada clay-não sei quê - o jovem tinha tanta vontade de falar que até discutiu o CERN e o acelerador de partículas. "Então, o rapaz até sabe umas coisas, vocês, mulheres, também são exigentes demais", dizem vocês. Mas vocês não estavam lá: o homem não era culto, era chato.

Foi em grandes risadas, imaginando o jantar em casa do Art Director das Caldas da Rainha com uma ex-namorada que trabalha no Expresso, que nos fomos embora. No fim, fui para casa, sozinha e com um ego um bocadinho maior. Mas só um bocadinho - não posso esquecer que um homem, ontem à noite, me comparou ao incrível Hulk.

15 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que aqui vim. Depois de um dia indescritível, terminado com meia-hora de Joy Division, resolvi espreitar-te (whooaahh!). Inverosímil - ri do art director, dos NiN (até gostei, a seu tempo), da inspiração que tira hulks da cartola. Não tenho cartão, e tenho 40 (!), sou o Snake - culto e chato. "Lindíssima"? Art director e maricas.

Clara disse...

Quer dizer que nunca poderei ouvir um heterossexual a dizer que sou "lindíssima"? Snake, seu destruidor de sonhos.

Anónimo disse...

Nem que seja art director.

Anónimo disse...

E eu que queria perguntar-te o que tinhas vestido - if anything... Too late, I guess. Vou muscular os (inexistentes) braços.

Ass. de Defesa dos Directores de Arte disse...

E eu que ontem recusei um convite para ir ao Bairro?! Hoje podia ter sido comparada ao Godzilla!... Damn!! Anda a passar-me uma vida ao lado! Bem, pelo menos umas noites...

Agora, ex-namoradas?!! Por favor! Esses Art Directors!... Se tivesses encontrado um Director de Arte tudo teria sido diferente!... Opta sempre pelo produto original, qualificado e certificado!

prima mais escura da Clara disse...

Começa uma pessoa a noite com histórias de amor na Austrália para acabar transformada em gigante verde na Bica... Ninguém merece!!

Jota p\ extenso disse...

"Quando o Bruce Banner se enfurece, transforma-se em Hulk. Quando o Hulk se enfurece, transforma-se em Chuck Norris."

Posto isto, a noite só podia terminar de uma maneira:
http://www.youtube.com/watch?v=6zRUX75eOGI

ulrich disse...

lindissima parece-me um adjectivo normalissimo na boca de um heterossexual

primes disse...

Estava embrigado, falava que se desunhava sem charme algum e ainda conseguiu falar da ex-namorada. Mas, ainda assim, no meio do terror, conseguiu ver o que muitos não vêem. Ele não é burro de todo Marta, podes dar-lhe algum crédito. :) (O poder do Hulk é saltar)

Mani disse...

Deve ter sido uma noite memorável! Um tipo diz que podes ser a super-heroína da vida dele, mostra que é 'culto' (a parte do CERN é de ir às lágrimas) e ainda confessa que és lindíssima (apesar do tiro no pé ao apontar o elogio para o peso do alcool no sangue)...
Ainda duvidas da existência dos homens românticos? ***

Clara disse...

Mani, também não tornes as coisas piores... Ele não apontou o elogio para o peso do álcool. Apontou a coragem de elogiar. E eu nunca duvidei da existência dos homens românticos... ;)

Ass. de Defesa dos Homens Românticos disse...

Nós existimos!!!

Sofia disse...

Digno de uma cena de um filme. ;)

Ela adormecida disse...

Hilariante :D *

RMP disse...

gostei do detalhe "lâmpadas com penas de pato-bébé". Grande post.